Um amor que despertou outro amor

Antes eu era uma fã obstinada por câmeras digitais, mas nesse ano fui inserida no mundo da fotografia analógica e estou amando isso!

Há algum tempo atrás, em dezembro do ano passado, meu namorado, que tinha começado a gostar de fotografia analógica alguns meses atrás, estava compartilhando comigo os desafios desse estilo fotográfico. E eu, como uma boa fã obstinada por câmeras digitais (point-and-shoot), simplesmente levantei a sobrancelha e respondi de forma trivial: “Não é só apertar o botão do obturador e tirar uma foto? O que é tão difícil nisso?”

Então o pobre namorado passou os 20 minutos seguintes tentando me explicar os dificuldades da fotografia analógica e que grandes fotos não são tiradas com um mero apertar de botão. Sabendo o quão teimosa eu poderia ser, resolveu desistir naquele dia. Sua paixão pela arte analógica continuou a crescer dia após dia, eu o via procurando por artigos sobre fotografia na internet.

No feriado de dezembro, saímos com um monte de amigos e ele trouxe sua nova bebê, uma Yashica Electro 35. Eu, é claro, trouxe minha verdadeira companheira: uma sedutora, suave e dotada de um vermelho meio pimenta Canon, que eu tinha comprado há uns meses atrás. Ao longo da viagem, eu o via fotografando. Ele tirava fotos dos objetos mais comuns, uma flor num arbusto, uma placa ao sol, eu não tirava. Eu era perfeitamente feliz com as capacidades do temporizador da minha câmera, que permitia que nosso grupo tirasse as fotos mais incríveis de todas, nas dunas de areia que visitamos (estávamos no Vietnã).

Quando chegamos em casa, ele revelou as fotos que tinha tirado e eu tive que engolir tudo o que eu disse. Talvez para os profissionais lá fora, as fotos que ele tirou fossem normais, sem nada de extraordinário, nada de especial. Mas eu fiquei completamente surpresa. Eu não estava lá quando ele tirou a foto daquele letreiro feio? Ali estava ele, capturado numa fotografia, com radiantes raios de luz do Sol que se derramavam de forma linda sobre o metal que refletia um tom brilhante e reluzente. As outras fotografias da viagem ficaram maravilhosas e a partir daquele momento, a fotografia analógica me ganhou.

Só consegui minha própria câmera analógica mais tarde quando meu namorado me fez uma surpresa no Dia dos Namorados. Essa câmera sem frescuras era perfeita pra mim, uma boba que achava sua Yashica incompreensível mesmo depois de cinco meses de uso. Preciso dizer que tive muita diversão com essa câmera! Palavras não podem expressar a alegria e expectativa que eu sinto quando envio meus filmes para serem revelados. Nós viajamos outra vez no fim de fevereiro, dessa vez para Bangkok e eu a trouxe comigo. Bom, a Canon veio também, mas dessa vez, a pequena vermelha foi banida pra minha mochila até o pôr-do-sol (já que minha outra câmera não pode tirar fotos à noite). Já faz quase dois meses que minha primeira câmera analógica e agora eu mal posso esperar para explorar outras câmeras (construí minha própria Recesky recentemente e tem uma Olympus Trip a caminho!)

Não tenho como agradecer meu namorado por me trazer para o mundo da fotografia analógica! Aqui estão algumas fotos pra vocês! Continuo sendo uma novata, mas espero que eu melhore com o tempo!

written by fumu on 2012-05-07 in #lifestyle #bangkok #lentes-super-grandes #feriado #novato #cameras-analogicas
translated by ilikephoto

More Interesting Articles

  • Lomography Diana Truques + Dicas

    written by joellep on 2014-10-28 in #gear #tipster
    Lomography Diana Truques + Dicas

    Durante os dois últimos anos, tenho utilizado a câmera Diana F+ de forma exaustiva. Essa foi a câmera que me despertou o interesse pela fotografia de filme. (algo que estou muito grato por ter "descoberto") Dois anos de aventura volvidos, e partilho agora com a comunidade a minha lista de truques e dicas com o que de melhor resultou para mim durante 2 anos de experimentação!

  • O Mundo de Acordo com Herr Willie: Brasília

    written by wil6ka on 2015-07-14 in #world #locations
    O Mundo de Acordo com Herr Willie: Brasília

    É uma utopia moderna, única no mundo: Brasília. A capital desse maravilhoso Brasil é o sonho de qualquer aficionado por arquitetura, a obra prima de Oscar Niemeyer. O arquiteto que criou a ilusão de uma vida melhor e que levou Brasília a ser declarada a Patrimônio Mundial da UNESCO em 1987. Isso é uma homenagem a linhas, curvas e ousadia.

  • Lomo’Instant Quick Shots: Hannah Brown

    written by hannah_brown on 2014-11-03 in #gear #tipster
    Lomo’Instant Quick Shots: Hannah Brown

    A Lomo`Instant é um mundo tão vasto de possibilidades, que fica difícil se saber por onde começar. Testamos essa incrível reinvenção da Lomo e partilhamos agora com você para que possa desfrutar de todo o potêncial dessa câmera única da fotografia instantânea. Algumas dicas também bem legais sobre como fotografar graffiti e múltipla exposição!

  • LomoGuru da semana: freakoftheweek

    written by icequeenubia on 2014-11-26 in #lifestyle
    LomoGuru da semana: freakoftheweek

    Sendo um fã incondicional de música funk e b-movies, freakoftheweek diz que sua abordagem fotográfica foi inevitavelmente influenciada por essas duas fontes de inspiração criativa. Depois de alguns anos fotografando e experimentando composições alucinadas de cor e perspetiva, freakoftheweek adotou sua própria técnica de fazer seus lomographs. Conheça o nosso LomoGuru da semana: Marko Bahr!

  • Red-O-Lutionary: Redscale nunca foi tão fácil de preparar!

    written by metobi on 2014-12-12 in #gear #tipster
    Red-O-Lutionary: Redscale nunca foi tão fácil de preparar!

    Transformar o seu rolo de filme em redscale requer tempo, dedicação e um quarto bem escuro. Um pouco assustador para Lomographers como eu que querem apenas focar e disparar, deixando tudo o resto por conta do laboratório. No entanto encontrei uma forma de criar rolos redscale caseiros bem rápido!

  • Testes com rolos de 35mm e químicos

    written by blackfairy on 2014-11-09 in #gear #tipster
    Testes com rolos de 35mm e químicos

    Por vezes acontece que as fotos que esperava não correspondem ao que você inicialmente antecipou - a imagem não ficou bem, as cores ficaram um pouco aquém do esperado, e a foto acabou por ficar com aspeto banal. Posto isso, lhe proponho aqui uma segunda chance para seus negativos. É isso mesmo, experimente modificar os seus negativos de 35mm. Inspire-se nas ideias que lhe proponho e tente você mesmo em casa, scaneando os seus negativos com o smartphone scanner da Lomography por exemplo. Tudo é possível... Use a sua imaginação e anote a sua nova receita de filme!

  • O meu primeiro Lomo Affair: Schugger e a Fisheye No. 2

    written by icequeenubia on 2014-11-08 in #lifestyle
    O meu primeiro Lomo Affair: Schugger e a Fisheye No. 2

    Schugger resolveu surpreender sua amiga de longa data e lomographer <b>turtle_cologne</b> durante o seu aniversário ao oferecer-lhe uma câmera Lomography Fisheye No. 2. No final, schugger foi quem acabou por se render aos encantos da câmera, de tal forma, que resolveu dar início a sua própria jornada analógica!

  • Viajando pelos Diversos Continentes com Pei Ketron e sua Lomo LC-A 120

    written by givesmehell on 2015-07-24 in #people #lifestyle #lomoamigos
    Viajando pelos Diversos Continentes com Pei Ketron e sua Lomo LC-A 120

    Pei Ketron é uma fotógrafa extremamente talentosa que mora em São Francisco. Ela nasceu na Tailândia e foi criada na Reserva Navajo do Arizona. Pei passou sua infância nos desertos do Sudeste e seus verões contemplando a lua sob os trópicos. Ela ensina fotografia em diversas instituições tais como a Santa Fe Photographic Workshops e The Compelling Image, e tem uma impressionante lista de clientes, entre os quais Apple, Adobe e Bloomingdale. Continue lendo para descobrir o que ela tem a dizer sobre suas aventuras pelo mundo com a Lomo LC-A 120.

  • A Rota da Alegria: Uma Entrevista com o Fotógrafo de Viajens Réhahn

    written by Kwyn Kenaz Aquino on 2015-07-24 in #people
    A Rota da Alegria: Uma Entrevista com o Fotógrafo de Viajens Réhahn

    "Dep qua!" exclama Réhan numa conversa em vietnamita. Ao elogiarem a beleza da sua foto os nativos riem, e o fotógrafo, uma vez mais, saca câmera, que é por estas bandas tão bem-vinda quanto uma colheita abundante .

    2
  • Julho 2015 Chamada para Contribuições

    written by jillytanrad on 2015-07-22 in #world #news
    Julho 2015 Chamada para Contribuições

    Tenha seus trabalhos publicados esse mês na Revista Lomography!

  • As Aventuras de Claude Nori Fotografando Mulheres

    written by Kwyn Kenaz Aquino on 2015-07-21 in #world #lifestyle
    As Aventuras de Claude Nori Fotografando Mulheres

    Claude Nori usou sua câmera para combater sua timidez perto das mulheres. Seus breves "namoricos fotográficos" estão agora em exposição na Polka Galerie em Paris.

  • Chilledvondub e sua Arma de Eleição: Leica M6

    written by Eunice Abique on 2015-07-17 in #world #lifestyle
    Chilledvondub e sua Arma de Eleição: Leica M6

    Craig Fullbrook jura pela Leica M6, não só por sua grande fama e reconhecimento, mas também por sua fiabilidade e performance. Nessa entrevista, ele explica melhor o que faz dessa estilosa câmera um "must-have" e a sua experiência em geral usando ela.