Primeiras Impressões: O que NÃO fazer quando se usa o filme Redscale XR

2013-01-21 9

Quando revelei meu primeiro Lomography Redscale XR, rodado na minha linda Diana F+, descobri uma série de coisas a não se fazer: como, por exemplo, segurar o disparador muito tempo para dar efeito estourado nas fotos. Confira, nesse artigo, minhas primeiras impressões desse filme:

Pessoalmente, esse filme me deixou decepcionada por erros meus. Ou seja, com ele, aprendi várias coisas, como: não segurar o disparador muito tempo. Gostar de foto com efeito estourado não significa que você precisa estourar a foto toda e perdê-la.
Outra coisa que aprendi foi que com Redscale XR as fotos melhores são as com pouca luminosidade.

Essa lomografia foi tirada para making of da capa do próximo livro do Leleco<. O ambiente era pouquíssimo iluminado: só contava com o flash do fotógrafo, e uma lâmpada muito fraquinha. A foto ficou bem nítida e bonita.

Já essas foram tiradas num sol de meio-dia. É, eu sei, também fiquei chocada. Perdi algumas fotos por conta disso.
Eu tentei me arriscar no Pinhole (até onde eu sei, aquela técnica da vinheta), mas não entendo nada sobre isso ainda. O resultado foi esse:

Isso era para ser um microfone. Como vocês podem ver, foi clicada num escuro quase absoluto, com apenas um feixe de luz. Se eu não tivesse colocado em modo P, teria ficado nítido. Ou seja: nessa caso, foi erro de escolha. As fotos em Pinhole geralmente ficam desfocadas e essa é a graça desse efeito. Eis outra tirada em Pinhole, mas com luz de fim de tarde:

Essa, por ser Pinhole e a velocidade diminuir com esse efeito, ficou só aquele estouradinho legal. Se o modo P não estivesse acionado, provavelmente seria outra foto estourada por completo.

Como vocês podem perceber, nesse filme também usei uma máscara. Máscaras são aqueles quadradinhos pretos que vem junto com a Diana para você encaixar dentro da câmera. Elas fazem bordas e permitem fazer 16 fotos – sem máscara, são 12.

Ah, esse filme diz que o ISO é variável (entre 50 e 200) e que ele se ajusta à luz que o ambiente oferece. Besteira! Se isso acontece, eu não percebi. MESMO. Se isso funcionasse, minhas fotos que não saíram por muita luminosidade teriam se ajustado ao menor ISO para sair. Minha dica é, se for comprar um filme colorido ou redscale (não digo PB porque ainda não usei preto e branco), prefira um ISO sempre entre 200 e 400. Dessa forma, você não perde nem as tiradas em ambiente claro, nem as tiradas em ambiente escuro.

Eu simplesmente adorei dupla/múltipla-exposição com esse filme! Nessa, primeiro lomografei um jardim de flores bem pequeninas de cor lilás e, depois, fiz esse retrato.

Para finalizar, vou resumir tudo que achei desse filme (sem levar em conta meus próprios erros):

O Lomography Redscale XR é um filme muito específico. Os tons ficam muito fortes para um Redscale. Não é um filme para se fotografar qualquer coisa porque ele é bem especial e único. Funciona melhor em ambientes com pouca luminosidade, e o ISO variável não funciona.

P.S.: Escolha um bom lugar para revelar e digitalizar suas lomografias. A desse filme não ficou legal.

Mais reviews e dicas lomográficas, você encontra no blog http://loamolomoparaleigos.wordpress.com/ (:

escrito por marixavier no dia 2013-01-21 em #equipamento #film #review #redscale #lomography

9 Comentários

  1. ovonovo
    ovonovo ·

    interessante a sua experiência com o redscale xr. já usei com a holga algumas vezes, com resultados sempre diferentes. eu diria até porque tenho opiniões diferentes a respeito de vc! uma delas: o filme é mais apropriado para ambientes com bastante claridade, ao contrário do que vc observou! eu mesma já tentei tirar fotos com pouca luminosidade e não deram certo.
    já vinhetagem é diferente da técnica do pinhole, por mais que seja possível fazer fotos de pinhole com vinhetas nas bordas. a holga por exemplo não faz pinhole mas é possível fotografar com vinheta (com o formato quadrado).
    talvez a foto do microfone tenha saído assim pq vc fotografou perto demais, não?
    sobre o iso, vale a pena mais uma tentativa, para sentir a gama de tons que esse filme pode oferecer. é só dar uma olhada em fotos de outros lomógrafos aqui no site. e tentar mais uns rolos! -- abs =)

  2. marcosnava
    marcosnava ·

    Bom, vou dar a minha opinião, mas não sou o dona da verdade :)
    Se não me engano este filme você pode regular a câmera como ISO de 50 até 200, mas na hora de revelar você deve informar qual ISO você regulou, senão não vai dar certo. Creio que é a mesma técnica de "puxar o filme". Portanto para ter os melhores resultados temos que ter um trabalho de 4 mãos: a do fotógrafo e a do laboratorista.
    Assim que eu receber a minha belair vou testar o filme e escrevo um artigo descrevendo o que eu obtive.

  3. marixavier
    marixavier ·

    Por favor, escrevam mais artigos sobre esse filme! Fiquei super decepcionada com o resultado final dele (fora algumas fotos).
    Agora, Marcos, como eu informo o ISO pro laboratorista? Usei minha Diana F+.
    E ovonovo, obrigada pelos esclarecimentos de vinhetagem e pinhole! Eu realmente não entendo direito dessas técnicas, mas ando me arriscando pra ver no que dá (:
    E, por favor, me ajudem mesmo com o ISO. Quando comprei esse filme, o vendedor da Lomography me disse que o ISO se ajusta à luminosidade do ambiente.

  4. danielnegreiros
    danielnegreiros ·

    O ISO deve ser ajustado na camera e ele nao faz isso sozinho. Nao eh um filme q se sairia bem na Diana F+. Na Belair provavelmente dara mais certo pois permite ajuste de iso. Vc nao precisa dizer nada na hora de revelar. Filmes redscale sao dificeis mesmo de fotografar, o meu primeiro saiu tudo escuro. No segundo peguei um filme redscale iso 400 e na Pentax ajustei pra ISO 32 e o resultado foi esse www.lomography.com.br/homes/danielnegreiros/photos/17487416 Melhor sorte nos seus proximos redscale :)

  5. ovonovo
    ovonovo ·

    ao meu ver, o iso se ajusta sim à luminosidade do ambiente -- isso em câmeras como a Diana ou a Holga, que não possuem regulagem de iso. O mais próximo da regulagem de iso que uma Diana ou Holga podem oferecer é o botão nublado/ensolarado. Ensolarado, o iso seria mais baixo; nublado, o iso é maior. O filme XR é bem diferente de outros filmes redscales. Consegui bons resultados de cores diferentes nesse rolo aqui: www.lomography.com.br/homes/ovonovo/albums/1892875-redscale… Já nesse outro aqui, as fotos todas sairam com cores muito parecidas (era um dia nublado): www.lomography.com.br/homes/ovonovo/albums/1917765-redscale… Esse aqui é um redscale que fiz em casa, com o filme 35mm colocado ao contrário dentro da Holga: www.lomography.com.br/homes/ovonovo/albums/1889871-diy-reds… . Nesse momento, estou com um outro rolo de redscale na Holga, vejamos depois os resultados :)

  6. ovonovo
    ovonovo ·

    traduzi esse artigo aqui, que dá algumas dicas sobre luz e redscale: www.lomography.com.br/magazine/tipster/2012/11/29/fotografe…
    Eu só usei a Diana F+ uma vez, e a minha impressão é que é uma câmera que precisa de muita luz (seja do ambiente, seja do flash), assim como a Sprocket Rocket por exemplo.

  7. marcosnava
    marcosnava ·

    Eu ainda não recebi o XR, mas consegui alguns resultados interessantes com Redscale com uma câmera box antiga. De uma olhada aqui: www.lomography.com.br/homes/marcosnava/albums/1925045-50s-b…

  8. marixavier
    marixavier ·

    Lindas fotos!

  9. sirpepper
    sirpepper ·

    Ótimas fotos.
    Por experiencia acho o redscale um filme bem complicado. Tem gente que adora, tem gente que odeia, e a Diana, por ser uma máquina escura pode acontecer uns resultados bem imprevisiveis. Outro problema que vejo nele, e que faz as fotos parecerem escuras é porque não é um filme fácil de escanear, tem que regular tudo muito bem, acho que é o que pode ter acontecido nas fotos no sol de meio dia. Acho que dá mais resultado em ambientes bem iluminados, mas não com muito contraste.
    O jeito é experimentar.

Mais Artigos Interessantes