Entrando no Mundo dos Sonhos com Nádia Maria

2016-11-15 1

Sabe aquele momento quando você está caindo no sono, quase dormindo e você começa a ver imagens um pouco surreais, um pouco inexplicáveis? O trabalho da fotógrafa brasileira Nádia Maria lembra muito estes momentos misteriosos. Nesta entrevista ela nos conta um pouco sobre o que está por trás.

"Eu vejo meu trabalho como poesia, minhas fotos como poemas... E eu não acredito muito no mundo como ele é aí fora, como se apresenta."
© Nádia Maria

Olá Nádia! Por favor, nos conte um pouco sobre você e o seu trabalho. Como você primeiramente se envolveu com a fotografia?

Eu me interessei pela fotografia ainda bem pequena, vendo livros e revistas. Aos 7 anos de idade eu comecei a fotografar minhas bonecas. Montava cenários, criava poses, tinha as bonecas como modelos. Foi quando percebi que a fotografia era uma forma de comunicação, minha comigo mesma e com o mundo. Depois passei a fotografar meus primos, amigos... Mas a câmera sempre foi meu ‘brinquedo’ preferido. Nessa época ainda era algo inacessível na minha idade. Ter uma câmera e um filme todo para mim foi a minha primeira sensação de liberdade.

© Nádia Maria

Você fotografa analógico/digital ou os dois? Qual é a sua preferência e por quê?

Eu fotografo com analógico e digital. Comecei fotografando analógico, estudei fotografia analógica por alguns anos e comecei trabalhando com fotografia analógica. Acho que por isso tenho uma identificação e um carinho maior pela fotografia analógica. Passei a usar digital há poucos anos atrás, comprei minha primeira câmera digital há uns 5 anos mais ou menos. Hoje trabalho com as duas, dependendo do tipo de trabalho que preciso desenvolver. Mas mesmo na digital eu trago o máximo que eu posso do analógico, eu não gosto de fazer muitos cliques, eu gosto de pensar bem antes de decidir um clique, não gosto de conferir a foto no visor, eu acho que penso e construo melhor no analógico, então eu tento não perder muito isso...

© Nádia Maria

Como você edita as suas fotos? Quanto é feito na pós-produção e quanto surge ao fotografar?

Eu acho que 90 ou quase 100% surge ao fotografar ou antes de fotografar. Eu preciso já enxergar o que quero transmitir, e geralmente eu já estou vendo o que quero, então em alguns casos eu direciono a imagem para ela me entregar o que estou vendo por trás. Mesmo uma fotografia que precise de uma pós-produção para algum objetivo final, ela tem que ser criada já no clique, senão acaba não funcionando comigo, ela tem que ter esse encontro.

© Nádia Maria

O seu trabalho contém muita poesia e mistério. O que te inspira?

Eu acho que meu trabalho se alimenta de tudo que eu sou, do que leio, estudo, das minhas reflexões e buscas, de tudo... Eu gosto muito de literatura, filosofia, ciência, mitologia, enfim, acho que isso acaba transparecendo nas minhas fotos. A poesia em particular acho que é minha maior fonte de inspiração. Eu vejo meu trabalho como poesia, minhas fotos como poemas... E eu não acredito muito no mundo como ele é aí fora, como se apresenta. Talvez seja isso.

© Nádia Maria

Quem são as pessoas nas suas fotos? Você costuma trabalhar com modelos (profissionais) ou amigos?

Geralmente são amigos, parentes, pessoas com quem eu tenho uma conexão maior. Eu trabalho com vários modelos, mas mesmo estes eu preciso ter um tempo e um envolvimento mais profundo antes de conseguir um bom resultado.

© Nádia Maria

Quais fotógrafos te inspiram? Você tem um ídolo?

Eu acho que não tenho ídolos, tenho pessoas com quem me identifico ou que me tocam muito. Na fotografia eu gosto muito do Masao Yamamoto, Clarence H. White, Julia Margaret Cameron, Henry Peach Robinson, George Seeley, Imogen Cunningham, Francesca Woodman, Sally Mann, para citar alguns...

© Nádia Maria

Você tem uma foto preferida sua?

Acho que não, cada uma representa um período da minha vida, uma reflexão, cada uma tem seu significado particular... acho que todas têm sua importância, seu momento.

© Nádia Maria

Você pode nos contar no que você está trabalhando no momento /quais projetos podemos aguardar?

Eu estou com alguns projetos, ainda estou estudando melhor então não é nada certo, mas estou também editando meu livro, estou trabalhando em um livro artesanal, que há muito tempo penso em publicar mas acabo não fazendo, então estou focada nele nesses últimos meses.


Para ver mais do trabalho de Nádia Maria, visite o seu
site, tumblr e não esquecam de dar um like no facebook

escrito por michellymatias no dia 2016-11-15 em

Mais Artigos Interessantes