Jordanna Kalman: Uma Questão de Memória

2017-02-28

O que são fotos, se pessoas queridas se transformam em estranhos nelas, se retratos se tornam relíquias incompletas de memória? A fotógrafa localizada em Nova Iorque, Jordanna Kalman revisita e desfaz as fotos que ela já tirou, arrancando cada memória fora da impressão.

Kalman fotografa em analógico. Tendo crescido com uma câmera escura na sua casa, foi claro para ela, que a fotografia seria a sua vocação.

© Jordanna Kalman

Nós humanos somos entidades andantes de histórias, de emoções, perca e relações complicadas.

"Sometimes (memory version)", de Kalman é uma revisão, uma atualização da história pessoal. Ela remove figuras que ela já fotografou, uma representação de como as suas memórias destas pessoas já estão desaparecendo, assim como um símbolo do falecimento da sua mãe – que agora tornou-se na série "Invisible".

Porém o seu trabalho não é uma coleção de retratos, ou autorretratos – é um documento íntimo, pseudo-diário de rostos perdidos.

© Jordanna Kalman

O tempo e memórias passam, pessoas e fotos não. Mas Kalman reversa a natureza destes elementos na sua fotografia. É o processo de Kalman, onde a fotografia se torna um fluxo de consciência.

© Jordanna Kalman

Aguarde a nossa entrevista com Jordanna em breve. No meio tempo, visite o seu outro trabalho com fotografia analógica no seu site.

escrito por Ciel Hernandez no dia 2017-02-28 em #pessoas

Mais Artigos Interessantes