Distanciamento em Trânsito: O Diário Visual de Yota Yoshida

2017-05-23

A emoção tácita, porém, sentida de uma solidão específica – o vazio no coração exclusivamente feito para a ocupação do eu – é o que o fotógrafo japonês Yota Yoshida quer capturar quando palavras falham a expressar as complicações do coração humano.

© Yota Yoshida

A sua série "From Somewhere, To Elsewhere" é uma história em um formato de diário. Cada uma das suas fotografias reproduzem o olhar de um observador, que por acaso está em algum meio de transporte. Seja dentro de um trem, um ônibus, um carro.

Existe uma certa emoção de alteridade, o senso de "eles e eu" em situações diferentes encontradas na vida cotidiana. Em Tóquio, Japão, ele encontrou vários casos. De algum modo, também funciona como uma carta para a sua audiência, do fotógrafo e dos próprios sujeitos.

© Yota Yoshida

No entanto, Yota quer enfatizar que não existe só solidão ao capturar essas imagens. Solidão é somente um elemento singular. Os outros são principalmente explicação, nem ele tem as palavras exatas para descrever sentimentos assim.

A série é inspirada pelo livro "Where Do We Come From? What Are We? Where Are We Going?" por Paul Gauguinm e o autor Jorge Luis Borges, em qual os seus trabalhos exploram temas da vida e morte através da vista budista.

© Yota Yoshida

Aguarde a nossa entrevista completa com Yota em breve. No meio tempo, visite o seu site, Instagram, Facebook, Flickr e Tumblr para ver mais do seu trabalho. As imagens foram usadas com permissão de Yota Yoshida.

escrito por Ciel Hernandez no dia 2017-05-23 em #pessoas

Mais Artigos Interessantes