Primeiras Impressões com o Neptune Convertible Art Lens System: Giacomo Favilla

2017-06-20

Giacomo é um fotógrafo e cineasta italiano. Fora o seu trabalho profissional para marcas famosas, ele também gosta de experimentar com projetos pessoais, onde ele explora temas diferentes e expressa a sua atmosfera.
Nós deixamos ele testar o Neptune Convertible Art Lens System, cujo ele usou para fazer um vídeo experimental noturno e um ensaio fotográfico muito interessante. Vamos conhecer ele um pouco e ver as suas primeiras impressões com este sistema de lente artística para videografia e fotografia.

Olá! Você pode nos contar um pouco sobre como você comecou a trabalhar na área da fotografia e videografia?

Olá, Lomography! Eu comecei com a produção de vídeos em um estúdio em Toscana, 14 anos atrás. Depois eu me mudei para Londres e eu trabalhei como um fotógrafo de moda freelancer por uns dois anos. O próximo grande passo foi em 2011, quando eu me mudei para Milão e abri um estúdio. Eu comecei a colaborar com clientes como Google, Heineken, Kartell e Fendi, para quais eu vim fazendo vídeos, já há uns 4 anos agora. Do lado, desde 2013 eu também vim seguindo um caminho artístico e pessoal. São projetos livres de decisões externas, mas nascidas de colaborações e encontros que eu tive com diretores, gráficos e artistas na Itália e fora. Assim, imagens que são conectadas ao rosto humano e ao conceito da identidade ganham vida. Eu tive a oportunidade de exibi-las em várias ocasiões. Recentemente, eu realizei um documentário com Rossella Farinotti sobre arte contemporânea, cujo foi projetado no PAC em Milão.

Como você descreveria o seu estilo?

Variável, em evolução. Os nossos olhos veem e evoluem com a nossa própria cultura. Quanto mais o nosso conhecimento, a nossa experiência de vida, problemas pessoais e a nossa própria consciência crescerem; mais os resultados que criamos vão mudando. Mesmo assim, sempre tem um mínimo denominador comum para tudo que criamos: sensibilidade é sempre nossa, sempre reconhecível, mesmo de longe e pelo passar do tempo.

Quais foram as suas primeiras impressões ao ver e segurar o Neptune Convertible Art Lens System?

Eu fiquei imediatamente impressionado pela leveza e pelo tamanho das óticas; elas são parecidas com as que você encaixa em câmeras de telêmetros de 35mm. Eu também gosto da estética, realmente atraente e com belo acabamento.

Como o Neptune Convertible Art Lens System se adapta às suas necessidades artísticas?

Se adapta de modo super fácil e rápido. Eu imediatamente me senti, como se fossem meus: elas desaparecem nas suas mãos, permitindo você a se concentrar mais no que você quer criar.

O que você realizou?

Eu fiz um filme de curta metragem experimental com as placas de abertura especiais. Eu filmei de noite sem um roteiro. Não tem uma história clara, e sim sugestões e sensações. Essas óticas conectam com a parte mais profunda e sensível da sua expressão, uma que é mais espontânea e significante, onde não há regras e você pode mostrar quem você realmente é. Elas focam nos seus instintos, quanto o resto permanece agradável.

As fotos foram feitas em colaboração com o artista Matteo Giuntini. Os seus trabalhos foram realizados em Blindex, deixando os rostos aparecerem sem revela-los completamente, criando uma mistura interessante de uma mensagem pintada e a expressão do objeto. Eu quis fotografar em locais mais decadentes: um lugar com uma alma, com muitas coisas a contar. Antes disso, esse lugar foi usado por uma organização de caridade, o que conta a sua história através do seu processo em ruínas. Eu usei todas as três distâncias focais do Neptune Convertible System: 35mm, 50mm, e 80mm para realmente aproveitar o seu potencial criativo. Para as fotos, eu usei a minha Canon 5d Mk3.

Como foi a sua experiência filmando com o Neptune Convertible System?

Quando eu filmo, eu sempre trabalho com o foco manual. Eu absolutamente adorei usar o Neptune Convertible Art Lens System, como a abertura sempre fica na mesma posição, mesmo mudando de distância focal. Isso é muito útil, também para aqueles que trabalham com Follow Focus, como de outro modo, você precisaria reorganizar os elementos depois de mudar de lente.

Para esse vídeo, eu usei as três distâncias focais com duas placas de abertura especiais para formar o bokeh. Eu realmente gostei desse sistema, como ele combina duas características que, para mim, são realmente importantes: qualidade de imagem e tamanho compacto, como é super fácil de carregar.

Eu fiquei bem surpreendido com os resultados e a tridimensionalidade que a lente pode produzir, é realmente bem inesperado. Para o vídeo, eu usei as lentes com a minha Sony A7sII para filmagem a noite e a produção é algo além do valor técnico. Neptune te ajuda a facilitar as coisas e permite a trabalhar direto com o que você quer comunicar através do meio visual.


Para ver mais do trabalho do Giacomo, por favor visite o seu site e a sua página no Facebook.

Obrigada a Indian Wells por nos deixar usar a sua música In the Streets. Dê uma olhada no seu canal no Soundcloud e Facebook page.

escrito por Lomography no dia 2017-06-20 em #pessoas #vídeos

Mais Artigos Interessantes