Você tem uma conta? Login | Você é novo na Lomography? Cadastre-se | Lab | Site atual:

Nat, a Imitadora #5: werriston

A edição de Abril de minha série de pinturas está aqui! Eu tentei algo novo desta vez, leia mais e saiba mais sobre isso.

Foto por werriston

Com minha rotina ocupada, tem sido um tanto quanto difícil focar em minha série. Levei um tempo para decidir qual foto eu pintaria dessa vez. Como de praxe, eu estava navegando o site da Lomography com a intenção de encontrar algo novo e mais desafiador. Enquanto discorria através de uma LomoHome de um bom amigo meu (werriston), eu me deparei em frente de uma foto de uma garot linda. Mesmo com seus óculos-de-sol e suas sombras cobrindo a maior parte de seu rosto, era fácil de ver que ela era bonita. Cercada pela escuridão, parecia que ela era a fonte da luz que ressoava pela foto. As manchas fofoqueiras me disseram que eu havie encontrado uma fotografia Polaroid. Eu pensei com meus botões, “Nick (”werriston":http://www.lomography.com/homes/werriston) fez isso de novo, eu achei outro portrato maravilhoso de uma mulher em sua LomoHome." Então, estava decidido. Essa seria a escolhida.

Sem o gesso que é usado tradicionalmete sob a tinta óleo para prevenir que a tinta ensope o papel, eu tive de usar papel fotográfico novamente. Era bastante difícil pintar nisso, pois a tinta não permanece muito bem na superfície escorregadia. Mas eu decidi seguir em frente e usá-lo, mesmo assim.

Começando com os limites e cantos usuais, eu escureci quase que todo o quadrado, deixando a área com a garota intocada. Eu queria chegar na matiz da escuridão certinho, então eu brinquei com uns vermelhos e marrons até que chegasse perto o suficiente.

Agora, a parte difícil: o assunto. Na foto, seu tom de pele era de uma laranja-amarelado. Mas eu queria tentar algo novo… Ao invés de focar em detelhes, eu queria conseguir que a imagem geral parecesse com a foto. Eu percebi então que quanto mais eu me focava em coisas pequenas, menos a pintura parecia com a fotografia. Então eu me apoiei na tinta mais do que o normal e fui direto aos negócios.

Testa. Óculos. Sombras. Bochecha. Nariz. Lábio superior. Destaques. Lábio inferior. Luzes baixas. Pescoço. Cabelo. Ombros. Jaqueta. Camiseta… Mãos. Estranho o suficiente, os dedos foram a parte mais complicada de pintar. Eu atribuo isso à grande quantidade de tinta que eu usei e também à superfície. A tinta continua a escorregar e se misturar. Uma grande irritação.

Eventualmente, eu consertei isso fizando os destaques e adicionando ao copo. No final, tinham as manchas e as mudancas de cor menores nos cantos. Alguns verdes, outros, vermelhos. E muitos pontinhos pequenos.

Finalmente, eu havia terminado, tomando mais tempo do que eu pensei que levaria, mas feliz com o novo jeito que eu decidi pintar. Era mais uma atitude “não pense, só pinte”, se você quiser. Espero que vocês gostem!

Pinturas e palavras por Natalie Fong. Originalmente de Taipei, Taiwan. Natalie vive atualmente em Honolulu, Hawaii. Leia mais da série Nat, a Imitadora.

escrito por natalieerachel e traduzido por arrebol

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro

Ler este artigo em outro idioma

A versão original deste artigo está escrito em:English. Isto também está disponível em:日本語.