Você tem uma conta? Login | Você é novo na Lomography? Cadastre-se | Lab | Site atual:

Minha memórias de infância em Tóquio

Eu raramente divido minhas memórias de infância com outros, principalmente online, mas este é um caso especial: estou viciado em lomografia e pensei que seria divertido mostrar algumas fotos antigas. Eu fui fotografado pela minha família, e meu avô me deixou alguns tesouros.

Quando eu nasci em 1983.

Eu acho que as pessoas podem falar de suas memórias de infância sob muitas perspectivas. Dessa vez, eu falarei sob o ponto de vista da minha família, poque eu era muito novo para segurar uma câmera e tirar fotos de mim mesmo. Vou mostrar algumas fotos minhas bem pequeno, como na pré-escola, e contar algumas histórias sobre elas. (Eu prefiro minhas fotos desse tempo, porque durante o ensino médio eu fiquei com uma aparência muito nerd).

Fazendo pose para a câmera…

Eu fui o primeiro filho a nascer, então meus pais e avós ficaram obviamente muito excitados. Eles tiraram muitas fotos minhas, segundo minha mãe, e eu provavelmente farei o mesmo com o meu primeiro filho. Eu ficarei tão feliz que farei fotos dele todos os dias.

Minha avó e minha mãe não paravam de me dizer o quão fofo eu era, quando mais novo, e quando voltei para o Japão escaneei umas fotos minhas e vi como eu era realmente.

Uau! Eu era mesmo muito fofo!

Acho que todo mundo era fofo quando criança… É um tipo de sentimento diferente quando você se olha sendo mais novo, porque eu ainda lembro que eu odiava ver essas minhas fotos quando eu era mais novo.

Acho que eu queria ser mair velho, me tornar um adulto, mais maduro. Quando crescemos, nos damos conta de como essa época de juventude era valiosa. É o que eu sinto agora, todo o tempo que eu posso gastar andando por aí com amigos, família, etc. Todo o resto é apenas uma memória.

Meu parceiro da vizinhança e eu éramos tão viciados em GameBoy.

Todas as memórias simplesmente voltam quando você vê uma foto.

Eu era realmente hiperativo e bagunceiro quando criança.
Comendo… eu ainda como muito.
Eu bebê com a vovó.
Acho que fui treinado pra isso.

Às vezes digo aos meus amigos como fui treinado para cantar no karaokê desde pequeno. Gostaria de agradecer aos meus pais, que fizeram isso. :)

Meu avô por parte de pai. Ele é um cara legal.
Meu avô por parte de mãe. Também um cara muito legal.

Então, um pouco sobre meu pai.

Ele viveu durante a Segunda Guerra Mundial – quando tinha cerca de 20 anos. Sobreviveu, voltou para casa e começou seu próprio negócio. Sustentou nossa família por um bom tempo.

Desde que assumi seu sobrenome (longa história, quem sabe outra hora), eu sinto que adquiri todas as suas habilidades e características. Ele costumava ser como eu, amando câmeras e fotografias. Tenho muitos bons amigos, da mesma forma que ele era tão popular no trabalho e admirado por muitas pessoas. Ele era instrutor de caligrafia japonesa, e eu me tornei professor no Canadá. Assim como eu viajo pelo mundo (bem, nem tanto), meu avô costumava viajar também. Ásia, Europa, América. Acho que adquiri todas as minhas qualidades do meu avô.

Olho para essas fotos antigas e penso que não gostei de quando meu avô tentou me ensinar algo (ou fazer alguma coisa por mim) porque eu não tinha noção do significado disso. Mas agora eu percebo que ele sempre fez o melhor por mim.

Nosso vizinho recebia muitos convidados e meu avô me fazia dizer “oi” para eles. :)

Bem, voltemos à história da minha infância…

Talvez mais algumas fotos para mostrar a você…

Minha irmã, meu irmão e eu.
Nos dávamos muito bem quando éramos novos. :P

Bem, ainda nos damos bem. ;)
Minha irmã e eu moramos juntos por 7 anos, ela se mudou para Vancouver e agora eu posso dizer que foi uma ótima experiência, das positivas. Meu irmão agora mora em Los Angeles. Eu o visitei esse ano, e já não o via há 3 anos.

Nós gostamos um do outro mesmo morando tão longe, o que eu acho que é um bom sinal.

Eu, posando para um retrato.

Então, eu gostei de mostrar minhas memórias de infância com lindos retratos meus. Vá para casa e mergulhe em seus álbuns, você também vai amá-lo. Lembranças são como remédios, então pense sobre a sua vida novamente, e você poderá encontrar algo interessante. Aproveite a vida, aproveita as lembranças.

escrito por whynotwinnipeg e traduzido por monamarques

1 comentário

  1. whynotwinnipeg

    whynotwinnipeg

    cool! Thanks for translating:)

    quase 2 anos atrás · reportar como spam

Ler este artigo em outro idioma

A versão original deste artigo está escrito em:English. Isto também está disponível em:日本語.